domingo, 29 de agosto de 2010

Companheiros de uma vida

Nunca tive medo de desafios. Acredito serem fundamentais para a construção de uma personalidade sólida e, diga-se de passagem, honrada. É nas piores situações que mostramos nossa verdadeira face. Há quem fuja furiosamente da "raia"; aqueles que ao se depararem com a dificuldade, simplesmente a circundam. Estes muitas vezes levam os méritos mesmo sem nada terem feito. Todavia, ainda existem aqueles que não temem o desconhecido. Aqueles que ao encontrarem uma pedra no caminho não pulam, não desviam, não fingem que ela não existe, mas sim a encaram, a chutam para longe e seguem sua jornada sem maiores complicações. Estamos em extinção atualmente, esta é a triste realidade. Sim, estamos. Me dou o luxo de auto intitular -me como tal. Nunca corri, nunca me desesperei ao ter empecilhos em meu trajeto. Me orgulho disso. Acho que persistência é uma das minhas qualidades mais notáveis. Não permito que obstáculos abalem meus planos, meu jeito, meus pensamentos ou tudo que já conquistei. Deles extraio o elixir de meu equilíbrio.
Pois bem, não nego estar em um momento de extrema sensibilidade, com o qual já tenho certa intimidade. Repentina e constantemente esses minutos de reflexões invadem meus dias. Foi pelo fato de estar encarando alguns pedregulhos desnecessários - mas perniciosos - que acabo alcançando tais devaneios. Mas como já mencionei antes, não tenho medo. Nada é suficientemente forte para quebrar o elo já criado. E é esse pensamento que me faz deitar tranquilamente todos os dias a cabeça no travesseiro, de modo que me sinta segura de todos meus sentimentos e de tudo que vivi até então.

3 comentários:

  1. Adoro a sensibilidade expressa nas tuas palavras querida. Me identifiquei bastante com o texto, equilíbrio é algo que busco constantemente nos últimos tempos.

    E mais uma vez muito obrigada pelo comentário no meu blog. =)

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. mas que bah, teu texto ficou ótimo!

    ResponderExcluir
  3. Nem tem motivos para negar que esteja em um estado de extrema sensibilidade. E' a sensibilidade que (realmente)nos permite sentir. Que continue sensivel, forte, mas cada vez mais sensivel.
    E escreveu tri bem de novo, teus textos te definem, ta te superando :)
    te amoo

    ResponderExcluir